Entre água, vidas e vontades. *Aguarelas.

A aguarela é uma técnica etérea, vaporosa, leve.                                                                                                                              
De acordo com a maneira de a trabalhar, sobrecarregando-a de pigmentos em espessura, ou diluída em muita água, os resultados são infinitamente diferentes.
Os efeitos de transparência conferem uma sensação de espelho.
A aguarela prepara frequentemente a pintura futura que imagino. Permite a sua elaboração.
Entre a aguarela e o seu duplo sobre tela, existe muitas vezes uma perceção diferente, além da própria técnica (efeitos de cor, matéria,
fluidez).
A aguarela é, no entanto, trabalhada como se fosse única.
A sua técnica dá pouco azo ao erro. Contrariamente a uma pintura sobre tela, que permite corrigir uma cor, uma forma, um traço, a gestualidade da aguarela é rápida. Obriga a ser mais eficaz. Pois é difícil voltar atrás. Gosto desse sentir do pincel fortemente embebido em água e dessa cor que se espalha, o toque do papel sobretudo quando é espesso e granulado. 

 

D.K.

* No francês original lê-se «en vies», trocadilho de «vies» (vidas) com «envies» (vontades). Nota do tradutor.